sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

SUMÁRIO


Apresentação do Projeto Político Pedagógico
Introdução
Dados de Identificação
Histórico da Instituição
Missão
Diagnóstico
Objetivos
Princípios Norteadores
Princípios Filosóficos
Avaliação da Aprendizagem
Recuperação da Aprendizagem
Formação Contínua do Corpo Docente
Compromisso da comunidade Escolar
Projetos e Programas
Organização curricular
Modalidade de Ensino: Educação Especial
Participantes do projeto
Bibliografia



APRESENTAÇÃO

Conscientes do papel de educadores e da importância de reorganizar de forma significativa o Projeto Político Pedagógico, a Escola busca abranger a Comunidade Escolar, visando proporcionar aos alunos através de parcerias, trabalhos voluntários e a efetiva participação da Associação de Pais e Mestres (A.P.M.) na escola os vários campos do conhecimento de forma crítica e global, onde todos os segmentos estejam envolvidos para despertar o pleno exercício da cidadania, ou seja, a formação de indivíduos participativos, responsáveis por seus direitos e deveres, e verdadeiros agentes de transformação da sociedade.
Diante de uma sociedade exigente e dinâmica, onde a linguagem escrita e o convívio em sociedade são prestigiados como instrumentos necessários e básicos para o ser humano, a escola procura caminhos para que o indivíduo possa crescer tanto socialmente, criticamente como cognitivamente. Acredita-se que é através da participação ativa, juntamente com a leitura e a escrita que o aluno faz acontecer o verdadeiro aprendizado, desenvolvendo assim suas habilidades/competências e atendendo as demandas da sociedade emergente, analisando e compreendendo o meio ao qual está inserido.
A Escola buscará caminhos e metodologias que satisfaçam os anseios e as expectativas da sua comunidade escolar e que favoreçam a motivação à leitura dos diversos meios de comunicação, além de possibilitar o registro de fatos importantes, ligados a vida cotidiana e cultural, na busca do desenvolvimento da expressão de seus pensamentos e idéias sem medo, no sentido de aprimorar e enriquecer seus conhecimentos.
Valorizando principalmente os aspectos positivos do aluno, a escola irá avaliar de forma gradativa o seu desempenho e o crescimento individual e social de cada um, objetivando a formação do homem pleno, como ser importante e fundamental dentro da sociedade a qual pertence.





INTRODUÇÃO

Este Projeto busca suprir os desafios propostos pela sociedade em relação à educação, tentando atingir o aprimoramento do conhecimento em consonância com as leis vigentes da educação brasileira como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), Parâmetros Curricular Nacional (PCN’s) e os Referenciais Curriculares da REME.
Em sua elaboração foram consideradas as principais demandas da organização escolar, referentes aos recursos humanos e tecnológicos, conhecimento e cidadania, ética e autonomia, bem como a legislação específica do Mato Grosso do Sul.
Considerando o aluno em sua individualidade, o docente, a comunidade e os profissionais envolvidos, a proposta pedagógica aqui apresentada, trata do pleno exercício de democracia e autonomia da nossa Instituição Educacional, uma vez que sua implementação partiu de pressupostos de todo o corpo docente e comunidade.(1)
Como um documento formal, composto em suas partes pelos segmentos básicos: apresentação, identificação, missão, histórico, diagnóstico, objetivos, princípios norteadores, organização administrativa e curricular, deve articular todos os processos e efetivar todas as atividades que deverão ser desenvolvidas na escola desde as mais simples às mais complexas, buscando a harmonia entre os recursos, o tempo e os espaços em detrimento ao atendimento dos alunos e respeitando as diversidades de cada um.
O Projeto como fruto coletivo de discussões, reflexões, trocas de experiências e outros, deverá conduzir todo o trabalho da Escola, garantir sua implantação e efetivação de um modelo de educação para mediar e transformar o cotidiano escolar, numa construção contínua e flexível que engloba toda a ação educacional com suas limitações e dificuldades, mas sempre com a perspectiva da mudança na estrutura da sociedade, na própria instituição dos valores e atitudes de todos os atores envolvidos.


1. Comunidade: A.P.M.,Equipe Técnica Pedagógica e Equipe Administrativa.





DADOS DE IDENTIFICAÇÃO


1. Dados da Instituição Educacional


1.1 Nome da Instituição Educacional Escola Municipal Irene Szukala

1.2. Endereço completo Rua Iemanjá, s/nº. Jardim das Hortênsias. Campo Grande/MS

1.3.Telefone/fax/e-mail 67-33146330

1.4.Localização Zona Urbana

1.5.Reconhecimento Lei nº8325 de 08/11/2001

1.6.Deliberação CEE/MS nº6505/04/03/2002

1.7.Código da Escola 0093008200

1.8.Turno de funcionamento Diurno

1.9.Nível de Ensino ofertado Fundamental

2.0.Etapas, fases e modalidades de ensino. Educação Infantil; Ensino Fundamental.





HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO EDUCACIONAL

A Escola Municipal Irene Szukala foi criada através do Decreto nº 835 de 8 de novembro de 2001, denominada Irene Szukala através da Lei nº 3894 de 18 de Outubro de 2001 e inaugurada em 08 de março de 2002 e faz parte da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS.
A professora Irene Szukala, natural de Campo Grande/MS, nascida em 14 de maio de 1942, falecida em 28 de outubro de 1995, foi escolhida patrona da Escola, através do Projeto
nº 5204/2001, da vereadora Tereza Name.

A Escola está localizada na região oeste da cidade, região do Anhanduizinho, tem 253,675 m2 de área construída e conta com uma secretaria, sala de direção, sala de professores, 30 salas de aula, 1 sala de vídeo, 1 sala de informática, 1 sala da equipe pedagógica, 1 biblioteca, 1 cantina, 1 despensa, 1 banheiro para alunos, 1 para alunas, 1 banheiro para funcionários, 1 depósito, 1 pátio coberto e 1 quadra de esportes.
A Escola foi ampliada em 6 salas de aulas, que foram inauguradas em 20 de fevereiro de 2006, na gestão do prefeito Nelson Trad Filho. Em novembro de 2008 foram inauguradas mais duas salas de aula e dois banheiros.
Muito tem sido os esforços para que nossa escola esteja sempre integrada com a comunidade, tendo como base o aprimoramento do Projeto Político Pedagógico.
Atualmente estudam em nossa escola cerca de 1.700 alunos, divididos entre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Sala de Recurso. Seu quadro de funcionários é composto por: 4 professoras da Educação Infantil, 1 professora da Sala de Recurso, 64 professores do Ensino Fundamental, 3 supervisores, 2 orientadores educacionais, 2 auxiliares de biblioteca, 1 secretário, 4 auxiliares de secretaria, 2 monitores de alunos, 2 agentes de portaria,3 agentes de serviço de cozinha, 9 agentes de conservação e limpeza, 1 diretora.
A escola é um patrimônio de muito valor para a sociedade, por isso deve ser bem cuidada e preservada. Muitos alunos estudam na nossa escola e muitos já estudaram, são vidas beneficiadas por uma educação de qualidade.



MISSÃO SOCIAL

A missão da Escola Municipal Irene Szukala é qualificar o aluno para a participação social, visando a formação do cidadão para o mundo do trabalho de forma a garantir o seu acesso e permanência nele, bem como busca a formação intelectual, afetiva e moral do homem, em integração com suas famílias, comprometido com seu processo de aprendizagem, com as exigências da cultura e disposto a contribuir, com competência, na criação de condições e meios que melhorem a qualidade da vida pessoal, familiar e social.

É tarefa da Escola, junto com outras instâncias sociais, preservar a identidade de um povo, contribuir para melhorar a educação brasileira, garantindo e vivenciando os valores humanos e cristãos, afirmando o valor da vida, da família e da cidadania, fomentando o respeito às individualidades e às legítimas diferenças. Esta Escola educa para a solidariedade, a honestidade e a justiça.




Sala de Recursos


Na Sala de Recursos são atendidos 30 alunos com necessidades educativas especiais (ANEE).
Todos esses alunos estão inseridos no Ensino Regular, participando de turmas inclusivas, recebem atendimento especializado e contam com professoras habilitadas e capacitadas para o desempenho do trabalho a qual são designadas.
As famílias de onde provêm os alunos desta escola são de baixa renda, algumas apresentam omissões, falta de compromisso e participação na vida escolar de seus filhos. Muitas vezes encontram-se casos com realidades gritantes, onde se tornam necessárias providências mais enérgicas para solucionar problemas complexos, com a ajuda do Serviço de Orientação Educacional ou o Conselho Tutelar.
Em relação ao ambiente interno da Escola detectamos por meio de questionários que os trabalhadores da educação envolvidos no processo, entendem a Escola como um ambiente acolhedor e agradável, com liberdade de trabalho e conciliada com a comunidade, e como principais fraquezas a comunicação entre os setores e o envolvimento da equipe escolar com todos os programas e projetos que a escola desenvolve, além de listarem que as principais ameaças ou riscos ao desempenho escolar são: a desagregação familiar; a violência e falta de segurança no bairro(PDE).
O Projeto Político Pedagógico deve nortear todo o trabalho a ser desenvolvido na escola, considerando a clientela e envolvendo ainda mais os pais e responsáveis no processo ensino-aprendizagem; para que isto aconteça nossas ações devem estar focadas na melhoria da comunicação entre os setores, sistematizar o acompanhamento da disciplina em sala de aula e na escola; fortalecer a qualidade do ensino na escola e assim proporcionar o exercício da cidadania.



OBJETIVO GERAL

Ø Viabilizar uma ação pedagógica que propicie ao corpo discente da Escola um desenvolvimento amplo em relação ao conhecimento de si e do mundo, estimulando sua capacidade crítica, ética, cognitiva, afetiva e cultural, visando a inserção social e a busca do exercício da cidadania.

Ø Desenvolver uma prática educacional que favoreça ao aluno apropriar-se dos recursos culturais relevantes para a intervenção e participação ativa e coerente na vida em sociedade, dominando a língua falada e escrita, os princípios da reflexão matemática, as coordenadas espaciais e temporais que permitam a percepção de mundo, os princípios científicos, as condições de fluição da arte e tecnologia, o domínio do saber acumulado pela humanidade que estão presentes nas várias concepções do papel da educação do mundo democrático entre outras exigências presentes no mundo atual.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Ø Evidenciar situações da realidade identificando problemas e buscando as possíveis soluções valendo-se do pensamento lógico, da análise crítica e criativa na seleção dos procedimentos a serem tomados;

Ø Valorizar o trabalho em grupo, desenvolvendo a capacidade crítica e cooperativa para a construção coletiva do conhecimento;
Ø Desenvolver a comunicação de modo oral, escrito, expressões artísticas, bem como perguntas, suposições, dados e conclusões, respeitando as diferentes opiniões e utilizando as informações de objetivos para justificativa das idéias;

Ø Proporcionar o conhecimento da diversidade sócio-cultural brasileira e de outras nações ressaltando a necessidade e a importância do respeito às diferenças étnicas, culturais, religiosas, de classe social, de gênero e outras características individuais e sociais;

Ø Favorecer a utilização das diferentes formas de linguagem como canal para produzir, expressar, comunicar, interpretar e usufruir as idéias e produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo as diferentes intenções e situações de comunicação;

Ø Desenvolver a educação ambiental a fim de que possa contribuir para a formação de cidadãos conscientes, aptos a decidirem a atuarem na realidade sócio-ambiental de um modo comprometido com a vida e com o bem estar de cada um e da sociedade;

Ø Desenvolver práticas corporais que permitam ao aluno experimentar e expressar um conjunto de características de sua personalidade, de seu estilo pessoal de jogar, dançar e brincar reconhecendo a importância da Educação física na superação de limites e desenvolvimento do respeito mútuo;

Ø Proporcionar a relação dos alunos com recursos tecnológicos, através do laboratório de informática;

Ø Desenvolver ações pedagógicas que intensifiquem a inclusão dos alunos com necessidades educativas especiais promovendo a integração com a comunidade escolar a fim de favorecer a construção de atitudes de respeito, de aceitação e que repudie o preconceito.



PRINCÍPIOS NORTEADORES
PRINCÍPIOS PEDAGÓGICOS/CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO

A educação, por origem, essência e finalidade é uma ação comunitária. É o diálogo, encontro e comunicação de um sujeito com o outro, onde educador e educando se educam. Assim sendo, a escola institucionaliza este caráter social e político da natureza humana. Não é a escola que reúne alunos e professores, mas a necessidade de educação que dá origem à escola. Somente a dimensão comunitária é capaz de resgatar a relação comunidade/escola e transforma o ensino em educação.
Baseado nestes princípios a Escola fez a opção por desenvolver um trabalho didático-pedagógico e humanista baseado na Concepção crítica da Educação.(Rever)
Segundo esta concepção de educação, o papel da escola é o de socialização do saber elaborado, do saber sistematizado e não do saber fragmentado; da cultura erudita, valorizando a cultura popular que o aluno adquiriu através das suas experiências. Mas, não basta a existência deste saber, é preciso que a escola ofereça condições de sua transmissão/assimilação, dosando-o, seqüênciando-o, para que o aluno possa dominá-lo, o que chamamos de “saber escolar”.
É importante ainda, a criação de oportunidades para que os alunos possam produzir, criar e recriar novos conhecimentos e aqueles historicamente produzidos pela humanidade, pois estes não são estáticos, são suscetíveis de transformação. Desta forma, eles poderão fazer a leitura da realidade concreta de forma crítica.
Para a Escola, isto não basta, nossa proposta está inspirada numa perspectiva de Educação para a cidadania, o que significa educar para a democracia que dê provas de sua credibilidade de intervenção na questão social e cultural.
A democracia é, antes de tudo, um processo de participação de muitos ou da maioria, nas decisões de interesses comuns; da vontade e das condições reais e histórica dos povos e dos interesses que dirigem os grupos: é uma conquista constante. A Escola se baseia nos princípios da democracia, pois contamos com a participação de todos nas decisões fundamentais, o que, no entanto, não exclui a existência da autoridade e das normas.
A participação de todos possibilita uma educação para a liberdade e para a responsabilidade.
Entendemos que a escola deve exercer um papel de humanização a partir da socialização e da construção/produção de conhecimentos e de valores necessários à conquista do exercício pleno da cidadania. Para tanto, estamos construindo uma escola que contribui para a formação de crianças e jovens construtores ativos da sociedade, capazes de viver no dia-a-dia, nos distintos espaços sociais, incluída a escola, uma cidadania consciente, crítica e militante. Isto exige muita prática educativa participativa, dialógica e democrática, que supre a cultura profundamente autoritária presente em todas as relações humanas e, em especial, na escola.
A vida cotidiana, espaço de criação, recriação e construção diária das relações pessoais e do saber, é considerada uma referência permanente da nossa ação educativa.

O Projeto Político Pedagógico está organizado em torno de quatro aprendizagens:

· Aprender a conhecer: que tem como objetivo o domínio dos próprios instrumentos do conhecimento, aprendendo e compreendendo o mundo, despertando a curiosidade intelectual, estimulando o sentido crítico, adquirindo autonomia na capacidade de decidir;

· Aprender a fazer: adquirir competências que tornem a pessoa apta a enfrentar numerosas e diversas situações colocando em prática os seus conhecimentos; consiste essencialmente em aplicar, na prática, os seus conhecimentos teóricos. Atualmente existe outro ponto essencial a focar nesta aprendizagem, referente à comunicação. É essencial que cada indivíduo saiba comunicar. Não apenas reter e transmitir informação mas também interpretar e selecionar as informações, muitas vezes contraditórias, analisar diferentes perspectivas, e refazer as suas próprias opiniões mediante novos fatos e informações;

· Aprender a conviver: desenvolver a compreensão do outro e a percepção das interdependências, através de projetos comuns, no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz. Este domínio da aprendizagem atua no campo das atitudes e valores, o combate ao conflito, ao preconceito, às rivalidades milenares ou diárias. Aposta-se na educação como veículo de paz, tolerância e compreensão;

· Aprender a ser: contribuir para o desenvolvimento total da pessoa, ajudando-a a elaborar pensamentos autônomos e críticos e para reformular os seus próprios juízos de valor, de modo a poder decidir por si mesmo, como agir com discernimento e responsabilidade nas diferentes circunstâncias da vida.



PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS

A globalização cultural e econômica tem marcado o mundo e nesse sentido, a busca de uma sociedade integrada no grupo familiar, comunitário e nacional, surge como necessidade para chegar à integração da comunidade como um todo.
As diversidades étnicas, regionais e culturais exercem papel crucial na sociedade contemporânea e é no âmbito dessa sociedade que a cidadania pode ser exercida. Neste contexto, a educação tem um papel bem preciso a desempenhar: ajudar o homem a compreender o mundo e a compreender o outro- a fim de melhor compreender a si mesmo- com mais sentido de responsabilidade, de solidariedade e de aceitação das diferenças culturais.
A inserção do Brasil no contexto da globalização, nos avanços científicos e tecnológicos, na reorientação ético-valorativa da sociedade, atribuem à escola imensas tarefas, não apenas como sendo a única instância de formação de sujeitos, mas como aquela que exerce uma prática educativa social organizada, intencional e planejada, ao longo de muito tempo na vida dos alunos. Desta forma, a escola deve assumir-se como instância de discussão dos referenciais éticos necessários e constitutivos de toda e qualquer ação de cidadania, colocando em relevância reflexões sobre a dignidade do ser humano, sobre a igualdade de direitos- recusa categórica de formas de discriminação- e sobre a importância da solidariedade e a observância das leis.

Baseado nestes princípios, a Escola Municipal Irene Szukala, propõe:

Ø Um ensino adequado às necessidades sociais, políticas e econômicas, considerando os interesses e motivações dos alunos, garantindo todas as aprendizagens essenciais para a formação de cidadãos autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade e responsabilidade na sociedade em que vivem;
Ø Reconhecer a diversidade como parte inseparável da identidade nacional e dar a reconhecer a riqueza representada pela diversidade etno-cultura, investindo na superação de qualquer tipo de discriminação;
Ø A valorização da cultura do seu grupo e, ao mesmo tempo, propiciar o acesso e respeito aos conhecimentos sociais relevantes da cultura brasileira e da humanidade. A intervenção no processo de socialização de seus alunos, tanto no desenvolvimento individual como no contexto social e cultural;
Ø Favorecer o desenvolvimento da potencialidade de trabalho individual, mas também, e sobretudo, do trabalho coletivo. Isto implica o estímulo à autonomia do sujeito, desenvolvendo o sentimento de segurança em relação às suas próprias capacidades, interagindo de forma integrada num trabalho de equipe;
Ø Que os conhecimentos criados e recriados sejam significativos, pois serão produtos de uma construção dinâmica que ocorre na interação entre o saber escolar e os demais saberes que se produzem e, que demandam um novo tipo de profissional, preparado para lidar com novas tecnologias e linguagens.
Ø Que a ética- expressa nos princípios de respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade- seja objeto de reflexão sobre as diversas atuações humanas e que o convívio escolar seja também ocasião para sua aprendizagem.



AVALIAÇÃO

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional –LDB , aprovada em 1996 ( art. 24, inciso V ), determina que os aspectos qualitativos prevaleçam sobre os quantitativos. Da mesma forma, os resultados obtidos pelos alunos ao longo do ano escolar devem ser mais valorizados que a nota da prova final. A avaliação visa à melhoria da aprendizagem porque: ela investiga como o aluno está aprendendo e o que deve ser feito para melhorar; o(a) professor(a) pode observar os alunos individualmente e procurar sanar as dificuldades de cada um; os alunos têm oportunidades de desenvolver atividades que objetivam resolver suas dúvidas e progredir.
Avaliar significa emitir um juízo de valor sobre a realidade que se questiona, seja a propósito das exigências de uma ação que se projetou realizar sobre ela, seja a propósito das suas conseqüências.A atividade de avaliação exige critérios claros que orientem a leitura dos aspectos a serem avaliados. A avaliação é parte integrante do processo ensino/aprendizagem e ganhou na atualidade espaço muito amplo nos processos de ensino.Requer preparo técnico e grande capacidade de observação dos profissionais envolvidos. Segundo Perrenoud(1999), a avaliação da aprendizagem, no novo paradigma é um processo mediador na construção do currículo e se encontra intimamente relacionado à gestão da aprendizagem dos alunos, principalmente no 1º ano do Ensino Fundamental.
A avaliação ocorre sob três funções básicas:
Função diagnóstica: de acordo com Miras e Solé( 1996,p.381), contemplada pela avaliação diagnóstica (ou inicial), é a que proporciona informações acerca das capacidades do aluno antes de iniciar um processo de ensino/aprendizagem. Pretende-se através desta avaliação, averiguar a posição do aluno face às novas aprendizagens que lhe vão ser propostas, bem como os conhecimentos prévios trazidos de vivências anteriores, que servem de base, no sentido de obviar as dificuldades futuras e, em certos casos, de resolver situações presentes. Ela deve ser efetuada através de atividades individuais, envolvendo oralidade, leitura e escrita, periodicamente e, feitos os registros.
Função formativa: a segunda função é a avaliação formativa que conforme Haydt ( 1995, p.17), permite constatar se os alunos estão, de fato atingindo os objetivos pretendidos, verificando a compatibilidade entre tais objetivos e os resultados efetivamente alcançados durante o desenvolvimento das atividades propostas.
Este tipo de avaliação pretende detectar e identificar deficiências na forma de ensinar, possibilitando reformulações no trabalho didático, visando aperfeiçoá-lo e de tal modo possibilitar ainda, a organização de correções e recuperações, buscando soluções adequadas aos problemas alcançados.Através de atividades individuais, grupais e coletivas se tem um perfil do pretendido.
Função somativa: tem como objetivo, segundo Miras e Sole (1996,p.378) determinar o grau de domínio do aluno em uma área de aprendizagem, o que permite outorgar uma qualificação que, por sua vez, pode ser utilizada como um sinal de credibilidade da aprendizagem, no sentido de aferir resultados já colhidos pós avaliações do tipo formativa e obter indicadores que permitem aperfeiçoar o processo de ensino. Corresponde a um balanço final, a uma visão de conjunto relativamente a um todo sobre o qual, até aí, só haviam sido feitos juízos parcelares. Utiliza-se recursos como: teste, provas mensais, bimestrais...
A aprovação ou a reprovação é uma decisão pedagógica que visa garantir as melhores condições de aprendizagem para os alunos. Os professores fazem análise a respeito das capacidades dos alunos a respeito das diferentes capacidades do aluno, que permitirão o aproveitamento do ensino no próximo ano/série. No caso de reprovação, a discussão será feita no Conselho de Classe.
A repetência deve ser um recurso extremo, estudado caso a caso, no momento que mais se adequar a cada aluno, para que esteja de fato a serviço da escolaridade com sucesso.



RECUPERAÇÃO DE APRENDIZAGEM

A recuperação se destina a reduzir ao mínimo a repetência em cada ano/série, mantendo todos os alunos reciclados e atualizados através de programadas revisões e recapitulações periódicas de conteúdos já trabalhados; proporciona ao aluno de aproveitamento insuficiente, atenção, acompanhamento, atividade e aulas especiais, visando a melhoria de seu desempenho escolar.
A recuperação paralela tem início após o conhecimento dos resultados da primeira avaliação ou de sua primeira parte ou etapa. Ela ocorre sempre que o aluno necessitar de uma nova explicação do conteúdo trabalhado.



FORMAÇÃO CONTÍNUA DO CORPO DOCENTE

Uma escola voltada para a formação de indivíduos reflexivos, autônomos, críticos, empreendedores e capazes de acompanhar a evolução do mundo, deverá contar com um corpo docente com as mesmas características, que sejam, portanto, intelectuais transformadores. Para alcançarmos este objetivo, investimos no seu aperfeiçoamento de forma contínua e que desperte em todos os profissionais a necessidade constante da busca de informação e da capacidade de articulação da sua prática pedagógica com a prática social geral.
As ações aqui propostas serão desenvolvidas através de reuniões para estudo, que acontecerão mensalmente e de oficinas bimestrais , coordenadas pela equipe técnica pedagógica, ministradas pelos próprios professores das diferentes áreas do conhecimento, ou por técnicos da Secretaria de Educação do Município ( SEMED), e em período de contraturno dos professores ou aos sábados.




COMPROMISSO DA COMUNIDADE ESCOLAR

Direção

O diretor deve ser o eixo no sucesso da escola. A sua influência é decisiva. É ele quem traça rumos, determina o clima emocional e intelectual, proporciona autonomia pedagógica, onde o corpo técnico, professores, alunos e funcionários se sentem responsáveis e se responsabilizam pelas decisões nas suas atribuições.

O acompanhamento é permanente, há reuniões regulares para avaliar cada segmento da escola. A utilização do tempo se faz necessário tanto para os professores como para os alunos, pois a evasão e repetência são prejudiciais à escolarização. As atividades de reforço e recuperação no contra-turno são consideradas uma necessidade. O apoio e o incentivo da direção torna-se imprescindível, para mover a participação dos pais, e conseqüentemente, acontecera o envolvimento da comunidade, atraindo voluntários e parceiros para colaborar na obtenção de seus resultados.

O diretor deve ser líder, capaz de mobilizar a comunidade escolar em torno de objetivos comuns, estabelecer objetivos claros, manter o foco nas prioridades e assegurar meios para atingir os seus objetivos. Do diretor é necessário uma postura de seriedade em relação às estratégias escolhidas.

A escola deve ser, antes de tudo, não apenas um lugar onde se ensina, mas, sobretudo, o lugar onde se aprende. O diretor deve ter liderança, capaz de delegar, coordenar, integrar e consolidar acreditar no que faz, escutar e compreender a comunidade escolar.



Especialistas em Educação

Supervisão Escolar

O Serviço de Supervisão Escolar torna-se parceira político-pedagógica do educador para integrar a formação continuada no qual os saberes e conhecimentos interagem para a melhoria do processo ensino-aprendizagem. A prática pelo processo participativo é promover o desenvolvimento da autonomia e da responsabilidade na construção do conhecimento, do educando com inserção no contexto sócio- cultural da comunidade.
Segundo Pinzan e Maccarni(2003, p.21) a Supervisão Escolar, comprometida com o trabalho coletivo, contribui na formação do professor na medida em que :

Não se limita ao controle, ou ao repasse de técnicas aos professores, mas no sentido de oferecer-lhes assessoramento teórico-metodológico diante dos problemas educacionais cotidianos, cria momentos de reflexão teórico-prática e com, o respaldo da fundamentação teórica e uma visão do ato de ensinar e de aprender como algo articulado, coordena tais discussões. (Referencias da REME,2008,p.43)

Com isso, oportunizar a formação e o fortalecimento do sentimento de parceria que por sua vez, possibilita o consenso, expressa pela solidariedade e interação em atender as necessidades do educando.
O supervisor na qualidade de mediador no processo ensino-aprendizagem, desenvolve com os professores juntamente com o orientador e diretor, os valores e os objetivos que fundamentam as ações, conforme a filosofia e a política da escola, buscando mudanças no processo da qualidade na educação.

Orientação Educacional

O Serviço de Orientação Educacional desempenha suas funções relacionando-se de maneira positiva e construtiva com a direção, corpo docente, corpo administrativo, educando, família e comunidade. Mantém o maior número possível de contatos com a família dos alunos, a fim de orientá-la quanto a sua obrigação de acordo com os artigos 54 parágrafo 3º e 55º do Estatuto da Criança e do Adolescente (E.C.A).
O Orientador Educacional deve possibilitar ao educando uma tomada de consciência para que possa assumir o seu próprio destino. Dessa forma é importante o trabalho do orientador em sala de aula, em pequenos grupos ou individual, visando o crescimento pessoal do aluno, elaborando planos de trabalho para que desenvolva auto-estima, atitudes e valores, disciplina, formação da cidadania e outros.

O trabalho da Orientação Educacional tem uma função política que se solidifica quando faz uma leitura, permanente da sociedade e do mundo, procurando ir além dos aspectos individuais das crianças e dos jovens, para envolvê-los nos aspectos políticos e sociais do cidadão.(Referencias da REME,2008, p.43)
los nos apsindividuais das cracrainças e dos jovens, para envolvtica que se solidifica quando faz uma leitura, permanete da sociedade e do mundo, procurando ir al
Quando esgotados todos os recursos da equipe pedagógica, o orientador educacional encaminha o aluno ao Conselho tutelar, solicitando ajuda preventiva através de um relatório elaborado pela orientação, explicando a situação do aluno. Realiza encaminhamentos à equipe da SEMED e acompanha os alunos avaliados pela equipe da Educação Especial. A Orientação Educacional coloca a direção a par de todas as suas atividades, trabalhando em perfeita e estreita cooperação, respeitando a hierarquia para o bom desempenho da escola.
Conforme o Regimento Escolar e como prática desta escola, o orientador educacional participa efetivamente de todo o processo pedagógico, principalmente contribuindo para o processo de planejar e executar as atividades curriculares.

Integração da Prática dos Especialistas em Educação

A integração nas ações dos especialistas em educação é importante para a inserção de propostas construtivas que permite à ação pedagógica o atingimento dos objetivos propostos.
Através do acompanhamento da prática docente e prática discente ambos os profissionais poderão dentro das suas atribuições agregarem valores quanto ao papel de supervisor escolar e orientador educacional na escola. Neste sentido, o supervisor escolar é também responsável pela leitura de sociedade e de mundo procurando ir além dos aspectos individuais que permeiam a sala de aula e todos os seus elementos conflituosos e o orientador educacional pela postura metodológica do professor.
Ambos, supervisor escolar e orientador educacional, trabalham para o bom andamento do trabalho pedagógico, assim é fundamental que:
· mantenham registros de acompanhamento da prática docente e discente de responsabilidade mútua que possam ser analisados visando à avaliação do cenário e tomada de decisões em conjunto;
· realizem sessões de estudo que tratem de temas apropriados para a fundamentação da prática da equipe;
· realizem visitas em sala de aula para acompanhamento da prática de ensinagem e aprendizagem;
· elaborem o Plano de Ação anual e/ou semestral elencando os objetivos e ações tendo como suporte o desempenho acadêmico dos alunos, o perfil dos professores e da comunidade de pais e/ou responsáveis pelos alunos articulado com o Plano de Ação do gestor escolar.

O papel do Professor

Diante das diversidades e pluralidades, é imprescindível estabelecer princípios norteados e orientações específicas, traçando um novo perfil do professor que atenda às exigências da Lei 9.394/96, ao Parecer CNE/CEB nº 4/98 e às atuais reflexões em torno do professor.
O professor hoje, deverá ser um profissional reflexivo em constante formação pessoal e sensível com a realidade na qual ele está inserido, buscando maneiras de oferecer um atendimento de qualidade. Ele deverá:
· Gerenciar a classe como uma comunidade educativa.

· Organizar o trabalho no meio dos mais vastos espaços - tempos de formação (ciclos, projetos da escola)

· Cooperar com os colegas, os pais e outros adultos.

· Conceber e dar vida a dispositivos pedagógicos complexos.

· Suscitar e animar as etapas de um projeto como modo de trabalho regular, proposto bimestralmente pela Equipe Técnica Pedagógica.

· Identificar e modificar aquilo que dá sentido aos saberes e as atitudes escolares.

· Criar e gerenciar situações-problema, identificar os obstáculos, analisar e reordenar as tarefas.

· Observar os alunos na realização dos trabalhos.

· Planejar, organizar, selecionar os conteúdos de seu plano de unidade e de aula.

· Avaliar as competências em construção nos alunos.

· Avaliar o processo de aprendizagem.

· Realizar a auto-avaliação.

Considerando o papel do professor como mediador entre o aluno e o conteúdo a aprender, exige-se dele a capacidade de criar o contexto adequado para que ocorra realmente a aprendizagem.


Participação da Família

De acordo a Constituição Federal, no art. 208, inciso VII, parágrafo 3º e, ainda, com a Lei nº 8069/90, Estatuto da Criança e do Adolescente, no art. 54, inciso VII, parágrafo 3º, ‘” Compete ao Poder Público recensear os educandos no ensino fundamental, fazer-lhes a chamada e zelar, junto aos pais ou responsáveis, pela freqüência a escola”, no entanto, ainda na Constituição Federal, no art. 227 “E dever da família assegurar a criança e adolescente, com absoluta prioridade, o direto à educação”. É fundamental negociar esta parceria com os pais, estimulando a participação, fornecendo subsídios para que acompanhem os filhos, levando-os a tomar consciência de que a melhoria da qualidade de vida está diretamente vinculada à melhoria do ensino.

Quanto aos alunos, que são o foco da escola, fazem parte do processo e são fontes de informação sobre as necessidades de aprendizagem. Devem ser ouvidos e estimulados a organizar grupos atuantes em diversas áreas em prol de melhorias da comunidade como um todo, assumindo suas responsabilidades com todas as tarefas escolares, sendo que a escola irá estabelecer limites para essa efetiva participação e para o cotidiano escolar.
Desta forma, alunos e pais não ficam alheios a essa responsabilidade, sendo necessário que a escola estabeleça uma rede de diversos segmentos, em que cada um assuma a sua parcela, a cumprir com sua função social, pois os objetivos são comuns (artigos 54 parágrafo 3º e 55º do Estatuto da Criança e do Adolescente).

O orientador educacional deve possibilitar ao educando uma tomada de consciência, para que possa assumir o seu próprio destino. Dessa forma é importante o trabalho do orientador em sala de aula, em pequenos grupos ou individual, visando o crescimento pessoal do aluno, elaborando planos de trabalho para que desenvolva auto-estima, atitudes e valores, disciplina, formação da cidadania e outros.

Quando esgotados todos os recursos da equipe pedagógica, o orientador encaminha o aluno ao Conselho Tutelar, solicitando ajuda preventiva através de um relatório elaborado pela orientação explicando a situação do aluno. Realiza encaminhamentos à equipe da SEMED e acompanha os alunos avaliados da Educação Especial. A orientação coloca a direção a par de todas as suas atividades, trabalhando em perfeita e estreita cooperação, respeitando a hierarquia para o bom desempenho da escola.

Perante este cenário a escola executa, para favorecer a participação da família, as seguintes ações:
· realização de cursos de informática para os pais e/ou responsáveis pelos alunos;
· trabalho voluntário na escola;
· participação dos pais nos projetos de leitura em sala de aula;
· realização de reuniões de sensibilização para a importância do acompanhamento escolar;
· realização de palestras com temas elencados do contexto da comunidade escolar.





PROJETOS/PROGRAMAS

A Escola está inserida no Programa Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE), e desenvolvemos os Projetos:

LER É APRENDER

Objetivo Geral: Melhorar o desempenho dos alunos da Escola na leitura, interpretação e produção de texto nas avaliações externas Rede Municipal de Ensino(REME).
Objetivo Específico :
· Propiciar aos alunos da escola, momentos de leitura, interpretação e produção de texto por meio da orientação do professor de várias disciplinas no desenvolvimento e aprimoramento das capacidades leitoras.
· Estimular e motivar os alunos e os professores para elaboração e execução de projetos de leitura e escrita.
· Criar possibilidades de interação dos alunos e professores com a leitura, através da leitura de livros e /ou textos variados.
· Estimular a interpretação, a criatividade, o pensar, o diálogo.
· Favorecer o acesso do aluno aos diferentes tipos de linguagem.
· Favorecer a interação docente.
· Auxiliar no desenvolvimento da autonomia intelectual.
· Incentivar o uso das tecnologias: TV; vídeo; biblioteca; informática; rádio e outros.
· Auxiliar na compreensão da leitura e a escrita como práticas sociais.
· Motivar o hábito de leitura e estimular a criatividade dos alunos e professores.

Envolvidos: direção, equipe técnica pedagógica e professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental.






VIOLÊNCIA

Objetivos:
· Analisar a repercussão da violência, sua abrangência e seu impacto na vida do grupo que é atingido direta ou indiretamente por ela.
· Compreender de que forma a violência foi construída historicamente, quais suas origens, e que relações a violência de hoje tem com um passado de negação de cidadania e exclusão social.
· Criar valores que nos podem fazer melhores como seres humanos.
· Estimular a solidariedade, o respeito à liberdade e à autonomia, o sentido de justiça.
· Valorizar constantemente exemplos das alternativas encontradas para denunciar, negar ou superar a violência social, institucional ou pessoal.
· Estimular atos e palavras afetivas e carinhosas que venham contrapor aos de violência física e verbal.

Envolvidos: professores do 4º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

GAE ( GRUPO PARA AVANÇAR NOS ESTUDOS)

Objetivo Geral: atender as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelos alunos conforme suas diferenças e especificidades, assim que forem constatadas.

Envolvidos: direção, equipe técnica pedagógica, alunos, docente da sala de aula regular Anos Iniciais e Finais, professor do GAE.

SOLETRA IRENE SZUKALA

Objetivo Geral: Desenvolver a oralidade e enriquecer o léxico lingüístico.
Objetivos específicos:
· Desenvolver o hábito da leitura;
· Produzir conhecimento;
· Associar o conhecimento teórico a realidade do aluno;
· Enriquecer o léxico lingüístico do aluno;
· Transformar os fonemas da palavra em letras, sem cometer uma transgressão das normas ortográficas;
· Tornar o ensino de Língua Portuguesa prazeroso.

Envolvidos: professores de Língua Portuguesa, alunos e professores do 4º ao 9º ano.

MATEMÁTICA: EM BUSCA DO OURO

Objetivo Geral: Melhorar o desempenho dos alunos na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas/OBMEP.

Envolvidos: professores de Matemática, professores Em Busca Do Ouro e alunos dos Anos Finais do Ensino Fundamental participantes e classificados para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas.

CONVIVENDO NO TRÂNSITO

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos o acesso às informações e conhecimentos sobre trânsito a partir das reflexões, debates, leitura, atividades práticas e atividades lúdicas que oportunizem aos mesmos pensar sobre o comportamento mais adequado no trânsito, visando a transformação de hábitos.

Envolvidos: professores e alunos da educação Infantil e Ensino Fundamental.

ÁGUA

Objetivo Geral: Compreender a necessidade de preservação e utilização adequada da água em casa, no bairro, na cidade, no país e no planeta.

Envolvidos: alunos e professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

TODOS CONTRA A DENGUE

Objetivo Geral: conscientizar a comunidade escolar, através de ações pontuais como recolhimento do lixo na escola, palestras, gincanas e outras atividades afins, a necessidade de combate as doenças infecto contagiosas, especialmente, a dengue.

Envolvidos: alunos e professores da educação Infantil e Ensino Fundamental


MATEMÁTICA: CAMPEONATO DE TABUADA

Objetivo Geral: Melhorar o desempenho dos alunos na utilização da multiplicação e construção de estratégias na resolução de situações-problema.

Envolvidos: equipe técnica pedagógica, alunos e professores dos 4os ao 9os anos do Ensino Fundamental.


AMIGO CORRESPONDENTE

Objetivo Geral: oportunizar aos alunos a expressão de sentimentos, idéias, opiniões
experiências através da linguagem escrita e oral, favorecendo a análise e reflexão da língua e o desenvolvimento da consciência crítica na construção da leitura e produção de textos(epistolares :cartas, bilhetes).

Envolvidos: professores de artes, professores da Educação Infantil e Anos Iniciais e de Língua portuguesa no Ensino Fundamental.


OFICINA DE ARTES

Objetivo Geral: promover o desenvolvimento global dos educandos, ampliando seu repertório cultural e artístico, bem como o desenvolvimento de sua própria produção, propiciando a valorização da cultura sul-matogrossense despertando-os para o interesse e o gosto pela Arte.

Envolvidos: direção, equipe técnica pedagógica, professora de artes e alunos inscritos da Rede Municipal de Ensino(REME).




CAPELANIA ESCOLAR

Objetivo Geral: proporcionar aos alunos uma maior interação da escola com a sociedade, oferecendo um apoio ético, moral, religioso, espiritual e psicológico aos alunos envolvidos em conflitos familiares, ou questões ligadas as drogas e a violência, bem como a seus familiares.

Envolvidos: direção, equipe técnica pedagógica, voluntários da igreja evangélica, alunos e professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

FEIRA DO ESPORTE

Objetivo Geral: Divulgar as diversas modalidades esportivas.

Objetivo específico:

§ Propiciar a interdisciplinaridade através das atividades esportivas.
§ Divulgar as atividades esportivas
§ Pesquisar a história das atividades esportivas.
§ Conscientizar sobre a importância das atividades esportivas na nossa saúde.

Envolvidos: Professores de Educação Física e professores e alunos dos anos finais do Ensino Fundamental.






ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

O currículo da Educação Infantil constituir-se-á de atividades que envolvam os componentes curriculares que compõem os Referenciais Curriculares da Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), acrescido de noções de informática educacional, sendo os trabalhos em sala de aula subsidiados pela Divisão da Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação.
O currículo do ensino fundamental abrangerá os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências. Geografia, História, Artes e Educação Física que compõem a base nacional comum. O oferecimento da Língua Estrangeira será a partir do 6º ano. Os conhecimentos na área de informática serão oferecidos desde a Pré-escola. Os temas transversais integrarão a base nacional comum e a parte diversificada.

EDUCAÇÃO INFANTIL

Objetivo geral de Língua Portuguesa:

· Registrar conforme seu nível de desenvolvimento, textos e histórias vividas no cotidiano de sua interação com o contexto social.
· Estabelecer relação de identidade com a escrita do seu nome.
· Ampliar o poder de criação textual, mobilizar a curiosidade de diferentes manifestações artísticas e culturais.
· Ouvir, contar e dramatizar experiências de fatos vividos e de personagens nos diversos contextos.
· Ampliar o vocabulário a partir de sua relação com o contexto social.
· Emitir opiniões e conceitos oralizados às questões levantadas pelo grupo.

Habilidades da Língua Portuguesa:
· Interagir nas várias situações de comunicação oral, para interagir e expressar desejos, necessidades e sentimentos por meio da linguagem oral, contar suas vivências, ouvir de outras pessoas, elaborar e responder perguntas.
· Familiarizar-se com a escrita por meio de manuseio de livros, revistas, jornais e outros textos da vivência diária de diversas situações nas quais seu uso se faça necessário.
· Escutar textos lidos, apreciar e discutir a leitura.
· Interessar-se por escrever palavras e textos não convencionais.
· Reconhecer seu nome escrito, saber identificá-lo nas diversas situações do cotidiano.

Objetivo geral da Matemática:

· Reconhecer os números, as operações numéricas, as contagens orais e noções espaciais como ferramentas necessárias no seu cotidiano.
· Ter confiança em suas próprias estratégias e na capacidade de lidar com situações matemáticas novas, utilizar seus conhecimentos prévios.
· Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, processos utilizados e resultados encontrados em situações-problema, utilizar a linguagem oral e matemática.

Habilidades Matemáticas:
· Utilizar contagem, notação escrita numérica e as operações matemáticas.
· Utilizar noções de cálculo mental como ferramenta para resolver problemas.
· Utilizar os conhecimentos matemáticos em situações-problema do cotidiano.
· Utilizar contagem oral nas brincadeiras e em situações nas quais as crianças reconhecem suas necessidades. ( cantigas, jogos... ).
· Descrever e representar pequenos percursos e trajetos, observando ponto de referência.

Objetivos da Música:

· Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções musicais.
· Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.
· Perceber e expressar sensações , sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais.
· Conhecer a origem e a história do instrumento musical em gestão.
Desenvolver os recursos técnicos para confecção de instrumentos.

Objetivos de Artes Visuais:

· Apreciar obras de arte e buscar conhecer os procedimentos utilizados pelos produtores.
· Iniciar e concluir os trabalhos com autonomia.
· Produzir trabalhos de artes utilizando a linguagem do desenho, pintura, modelagem, colagem, da construção desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.

Habilidades:
· Compreender e reconhecer a diversidade da produção artística, na medida em que estabelece contato com as imagens das artes nos diversos meios, como livro de artes, revistas, visitas às exposições, filmes, contato com artistas.
· Explorar e utilizar alguns procedimentos necessários para desenhar, pintar, modelar, colar, valorizando suas produções em geral.

Principais objetivos do movimento:

· Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação.
· Deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr, pular,etc, desenvolvendo atitudes de confiança nas próprias capacidades motoras.

Habilidades:
· Executar as habilidades motoras básicas, exercendo controle sobre o corpo.
· Utilizar as habilidades motoras básicas de manipulação estabelecendo relação entre o próprio corpo e diferentes objetos.
· Explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento como força, velocidade, resistência e flexibilidade, conhecendo gradativamente os limites e potencialidades do seu corpo.
· Participar ativamente nas atividades propostas interagindo com os colegas.

ENSINO FUNDAMENTAL

Objetivos Gerais :
A Educação no Ensino Fundamental visa:

a) O desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meio básico o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
b) A compreensão do ambiente natural e social do sistema político, da tecnologia, das artes e a dos valores em que se fundamenta a sociedade;
c) O fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social.

Objetivos Gerais da Língua Portuguesa:

· Utilizar diferentes linguagens como meio para expressar e comunicar suas idéias, interpretar e usufruir das produções da cultura.
· Ler, interpretar e produzir textos, de forma clara e criativa.
· Registrar conforme seu nível de desenvolvimento, textos e histórias vividas no cotidiano de sua interação com o contexto social.
· Elaborar e registrar regras sociais de convivência com o grupo, entendendo o papel do cooperativismo, respeito, etc.
· Ampliar o poder de criação textual, mobilizando a curiosidade de diferentes manifestações artísticas e culturais.
· Ampliar o vocabulário a partir de sua relação com o contexto social.

Habilidades Língua Portuguesa:
* Participar em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita, tais como: leitura de placas, rótulos, diagramação.
* Produzir textos diversificados, individuais e coletivos.
* Praticar atividades que possibilitem a reflexão sobre a língua em situação de produção e interpretação de textos reais.
* Produzir textos utilizando os diversos recursos lingüísticos e gramaticais, bem como observando a acentuação, pontuação, cuidando da ortografia, de forma a tornar o texto em condições de serem entendidos por todos.
* Identificar e utilizar os diversos recursos lingüísticos, conhecendo sua classificação e funções sintáticas de acordo com o texto onde estiverem empregados.
* Ler de forma autônoma e interpretar os diferentes tipos de textos dos gêneros previstos para série, desenvolvendo sensibilidade para reconhecer a intencionalidade implícita sabendo identificar aqueles que correspondem às suas necessidades.
* Utilizar e valorizar o repertório lingüístico de sua comunidade na produção de texto.
* Adquirir o hábito de analisar e revisar o próprio texto em função dos objetivos estabelecidos, da intenção comunicativa e do leitor a que se destina, redigindo tantas quantas forem as versões necessárias para considerar o texto produzido bem escrito.
* Ampliar de forma progressiva o conjunto de conhecimentos discursivos, semânticos e gramaticais na construção.
* Compreender a leitura em suas diferentes dimensões: o dever de ler, a necessidade de ler e o prazer de ler.
* Selecionar textos, segundo seu interesse e necessidade.
* Redigir diferentes tipos de textos, estruturando-os de maneira a garantir a continuidade temática.
* Utilizar o diálogo como forma de mediar conflitos e de tomar decisões coletivas.
* Praticar produções textuais, em atividades de aquisição da base alfabética e ou de aquisição da escrita ortográfica.
* Integrar e sintetizar informações, expressando-as em linguagem própria, oralmente ou por escrito.
* Compreender cidadania como participação social e política, assim como o exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito.
* Praticar a escrita, utilizando os conhecimentos que dispõe.
* Usar a linguagem para melhorar a qualidade de suas relações, sendo capazes de expressar seus sentimentos, idéias e opiniões, relatar experiências, acolhendo, interpretando e considerando a fala dos outros, contrapondo-se quando necessário.
* Delimitar problemas levantados durante a leitura e localização às fontes de informação pertinentes para resolução.
* Treinar escolhas lexicais, sintáticas, figurativas e ilustrativas, ajustando-as às circunstâncias, formalidades e propósitos de interação.
* Utilizar diferentes linguagens: verbal, musical, matemática, gráfica, plástica e corporal como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias, interpretar e usufruir as produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação.

Objetivos Gerais da Matemática:
· Identificar os conhecimentos matemáticos como meio para compreender e transformar o mundo a sua volta, bem como estabelecer relações de aspectos quantitativos com as problemáticas da vida humana.
· Resolver situações-problema, sabendo validar estratégias e resultados, construindo, a partir delas, os significados das operações fundamentais para o desenvolvimento do raciocínio
· Estabelecer relações entre os conhecimentos matemáticos nos diferentes campos das atividades humanas, bem como entre os conhecimentos de outras áreas do currículo;
· Selecionar, organizar e produzir informações relevantes, para interpretá-las a avaliá-las com criticidade;
· Descrever, representar e apresentar resultados com precisão e argumentar sobre suas conjecturas, com coerência e clareza da linguagem oral, estabelecendo, entre elas, relações nas diferentes representações matemáticas.

Habilidades em Matemática:
* Resolver situações problemas que envolvam contagem, medidas padrões e significado das operações.
* Ler e escrever números, utilizando conhecimentos sobre a escrita posicional.
* Comparar e ordenar quantidades que expressem grandezas familiares aos alunos, interpretando e expressando resultados.
* Organizar os dados observados ou conhecimentos adquiridos.
* Estabelecer relações entre os objetos e seres, favorecendo a incorporação de classificações e seriações.
* Compor e decompor representações codificadas em situações aritméticas e geométricas.
* Construir, ler e interpretar gráficos e tabelas com dados obtidos a partir de pesquisas por ele desenvolvidas ou através de leitura de material informativo.
* Elaborar e resolver problemas envolvendo as operações fundamentais.
* Resolver problemas não convencionais.
* Reconhecer o valor posicional de um número.
* Distinguir a diferença entre medidas de cumprimento e medidas de área.
* Reconhecer figuras geométricas planas.
* Diferenciar entre figuras bidimensionais e figuras tridimensionais, utilizando a nomenclatura correta.
* Valorizar o trabalho coletivo e participação ativa nas atividades propostas.
* Identificar outros sistemas de numeração
* Compreender que a estatística pode conter erros pela manipulação dos dados.
* Identificar os casos semelhantes e de congruência.
* Resolver problemas envolvendo funções de primeiro grau
* Resolver problemas envolvendo potência e radiciação, com e sem uso da calculadora.
* Calcular porcentagem num contexto significativo.
*Identificar ângulos congruentes, complementares e suplementares.
* Construir procedimentos para a determinação do valor numérico de uma expressão algébrica.
* Realizar verificações experimentais do teorema de Pitágoras no cotidiano escolar.
* Determinar a raiz quadrada de um número pela fatoração, aproximação sucessivas e com uso da calculadora.
* Identificar a potenciação com uma sucessão de multiplicação de produtos iguais.
* Realizar cálculo mental com números naturais e racionais.




Objetivos Gerais de História:
· Elaborar e registrar regras sociais de convivência com o grupo, entendendo o papel do cooperativismo, respeito, etc.
· Identificar o próprio grupo de convívio e as relações que estabelecem com outros tempos e espaços.
· Conhecer e respeitar o modo de vida de diferentes grupos sociais, em diversos tempos e espaços, em suas manifestações culturais, econômicas, políticas e sociais, reconhecendo semelhanças e diferenças entre eles.
· Questionar a realidade, identificando alguns de seus problemas e refletindo sobre possíveis soluções.
· Utilizar métodos de pesquisa e de produção de textos de conteúdo histórico.
Habilidades em História:
* Reconhecer a data de nascimento como um marco comum de referência temporal entre os diversos membros da comunidade da qual fazem parte.
* Identificar as festas locais como marcos de referência na vida da comunidade da qual o aluno faz parte.
* Reconhecer as diferentes profissões em sua comunidade.
* Ler e interpretar as fontes históricas ( textos, fotos, objetos, filmes de diferentes épocas, mapas ).
* Reconhecer algumas relações sociais, econômicas, políticas e culturais que a sua coletividade estabelece ou estabeleceu com outras localidades no presente ou no passado.
* Identificar os avós, pais e filhos como sendo membros da família que pertencem a gerações diferentes.
* Utilizar diferentes informações- jornais, revistas, noticiários de TV ou rádio, conteúdos na Internet para o desenvolvimento da leitura crítica.
* Identificar diferentes correntes migratórias que deram origem à formação do Estado de Mato Grosso do Sul.
* Ler, interpretar e comparar textos, tabelas, gráficos, mapas e demais fontes históricas.
* Produzir textos dentro do conteúdo trabalhado.
* Ter reflexão histórica e crítica sobre os fatos.
* Localizar no mapa, as regiões ocupadas por diferentes grupos do MS.
* Respeitar a realidade social dos adversos.
* Identificar Federalismo como característica básica do regime Republicano implantado no Brasil em 1889.
* Compreender que a organização política, econômica, cultural, social de um país, deve ser ordenada por normas que determine os direitos, deveres e obrigações dos cidadãos.
* Deduzir que a baixa produção agrícola de alimentos para o mercado interno é um dos traços marcantes dos latifúndios brasileiros.
* Relacionar a desagregação do socialismo no Leste Europeu com o fim da chamada Guerra fria e a ascensão dos EUA como potência hegemônica mundial.
* Identificar a Guerra Fria como tendo sido a disputa indireta entre os EUA e a URSS pela supremacia mundial.
* Caracterizar o voto de cabresto como instrumento de dominação política do Brasil.
* Compreender as vantagens e desvantagens econômicas dos países integrantes do Mercosul.
* Comparar a noção de cidadania que havia em Esparta e Atenas com a noção de cidadania do Brasil atual, pontuando as diferenças e semelhanças.

Objetivos Gerais de Geografia:
· Conhecer a organização do espaço geográfico e o funcionamento da natureza em suas múltiplas relações, de modo a compreender o papel das sociedades em sua construção e na produção do território, da paisagem e do lugar.
· Identificar e avaliar as ações dos homens em sociedade e suas conseqüências em diferentes espaços e tempos.
· Compreender a espacialidade e temporalidade dos fenômenos geográficos estudados em suas dinâmicas e interações.
· Compreender que as melhorias nas condições de vida, os direitos políticos, os avanços tecnológicos e as transformações sócio-culturais são conquistas decorrentes de conflitos e acordos.
· Saber utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a espacialidade dos fenômenos geográficos.

Habilidades em Geografia:
* Ler , analisar e orientar-se através de legendas, gráficos e mapas, sabendo elaborar gráficos.
* Compreender o tempo histórico e a temporalidade imediata, reconhecendo o seu espaço de vivência.
* Produzir textos descritivos.
* Identificar e reconhecer os principais tipos de climas do Brasil e do Estado, diferenciando as estações do ano e como elas influenciam na duração dos dias e das noites.
* Caracterizar o extrativismo, agropecuária e tipos de indústrias.
* Compreender e reconhecer os principais tipos climáticos do Brasil e como esta alterações ocorrem por decorrência de fenômenos naturais ou criados pelo homem.
* Associar o processo de industrialização ao processo de industrialização ao processo de urbanização no Brasil.
* Destacar os principais rebanhos e cultivos brasileiros.
* Explicar a existência de vários níveis de desenvolvimento econômico na América Latina.
* Caracterizar a revolução técnico-científica.
* Caracterizar a ordem atual baseada na existência de vários pólos de poder e na integração econômica mundial - globalização.
* Analisar a existência de países subdesenvolvidos e industrializados
* Reconhecer a importância do trabalho e suas relações sociais.
* Compreender o tempo histórico, a temporalidade imediata e a temporalidade baseada em períodos mais longos.
* Localizar o Estado no Brasil e no continente Sul-americano, identificando seus limites e fronteiras.
* Explicar a organização do comércio no município.
* Destacar a importância do comércio no Mato Grosso do Sul.
* Reconhecer as principais formas de relevo da superfície terrestre.
* Identificar e diferenciar as alterações climáticas que ocorrem devido aos fenômenos naturais ou criados pelo homem.
* Reconhecer a regionalização brasileira pautada na existência de cinco grandes regiões.
* Produzir textos analíticos, analisar mapas temáticos, gráficos e tabelas e elabora-los.
Objetivos Gerais de Ciências:
· Compreender a natureza como um todo dinâmico, sendo o ser humano, parte integrante e agente de transformações do mundo em que vive.
· Identificar relações entre conhecimento científico, produção de tecnologia e condições de vida.
· Saber utilizar conceitos científicos básicos, associados a energia, matéria, transformação, espaço, tempo, sistema, equilíbrio e vida.
· Compreender a saúde como bem individual e comum que deve ser promovido pela ação coletiva.
· Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, distinguindo usos corretos e necessários daqueles prejudiciais ao equilíbrio da natureza e ao homem.
Habilidades em Ciências:
* Observar e comparar algumas características do corpo humano, tais como: diferenças entre sexo masculino e feminino, altura, cor da pele, cor e textura dos cabelos, cor e forma dos olhos.
* Listar e classificar os alimentos quanto à sua origem.
* Observar e comparar o corpo do ser humano com o de outros seres vivos.
* Formular hipóteses sobre as causas e conseqüências da interferência humana no ambiente.
* Caracterizar as partes do corpo do ser humano.
* Relacionar a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis/Aids e a gravidez precoce com saúde e valorização da vida do adolescente.
* Refletir e analisar sobre a importância do sistema nervoso e hormonal nas relações ambientais.
* Relacionar a física com ocorrência do meio ambiente.
* Refletir, analisar e interpretar os aspectos relacionados com a sexualidade na adolescência.
* Compreender os processos de fecundação, gravidez, parto e aleitamento.
* Estabelecer relações entre o uso dos preservativos, a contracepção e a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.
* Classificar e demonstrar os conceitos de mecânica.
* Observar e comparar diferentes ambientes naturais e construídos quanto a características tais como água, ar, luz, solo, seres vivos.
* Listar e classificar os objetos utilizados no cotidiano a materiais de origem mineral, animal e vegetal.
* Relatar maneiras de se prevenir acidentes na escola, em casa e no trânsito.
* Diferenciar e classificar os tipos de lixo e o seu destino.
* Caracterizar os seres vivos de uma maneira geral
* Relacionar os fenômenos da digestão dos alimentos aos fenômenos de absorção de nutrientes, distribuição de nutrientes pela circulação sangüínea e excreção de substâncias.
* Analisar criticamente a utilização da indústria química na sociedade humana.
* Relatar formas de conservação do ambiente.
* Levantar hipóteses e ordenar idéias sobre a origem do Universo, formação do Sistema Solar e evolução da vida na Terra.

Objetivos Gerais de Artes:
· Expressar e saber comunicar-se em artes e manter uma atitude de busca pessoal e/ou coletiva, articulando a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e fruir produções artísticas.
· Interagir com materiais, instrumentos e procedimentos variados, experimentando-os e conhecendo-os de modo a utilizá-los nos trabalhos pessoais.
· Compreender e saber identificar a arte como fato histórico contextualizado nas diversas culturas, conhecendo e respeitando.
· Observar as relações entre o homem e a realidade com interesse e curiosidade, exercitando a discussão, indagando, argumentando e apreciando arte de modo sensível.
Habilidades em Artes:
* Reconhecer, conviver e identificar as produções visuais ( originais e reproduções ) e suas concepções estéticas nas diferentes culturas- regionais, nacionais e internacionais.
* Observar as diferentes formas de expressar em arte visual.
* Interagir com diversos materiais, para expressar-se em arte visuais.
* Desenvolver uma relação de autoconfiança com a produção artística pessoal, relacionando a própria produção com a dos outros, valorizando e respeitando a diversidade estética, artística e de gênero.
* Praticar a linguagem teatral.
* Criar textos a partir de temas ou expressão livre.
* Compreender através da leitura de imagens a estética da obra.
* Demonstrar através dos seus trabalhos temáticas próprias – livre expressar.
* Identificar e reconhecer algumas técnicas e procedimentos artísticos presentes nas obras visuais.
* Reconhecer a música como forma de expressão.
* Utilizar a capacidade de expressar-se em música através de jogos e brincadeiras.
* Experimentar e articular as expressões corporais, plásticas e sonoras.
* Participar de brincadeiras e jogos que estimulem a expressar através do corpo e fala.
* Demonstrar competências de leitura e releitura das formas visuais em diversos meios de comunicação da imagem.
* Refletir o teatro como fato histórico.
* Pesquisar sobre diferentes estilos de músicas brasileiras.
* Criar textos teatrais por meio de temas livres ou dirigidos.
* Conhecer arte musical.
* Ajustar movimentos corporais em diferentes posições e espaços de acordo com as possibilidades individuais.

Objetivos Gerais de Educação Física:
· Participar de atividades corporais, estabelecendo relações equilibradas e construtivas com os outros, reconhecendo e respeitando características físicas e de desempenho de si próprio e dos outros.
· Adotar atitudes de respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situações lúdicas e esportivas, repudiando qualquer tipo de violência.
· Reconhecer-se como elemento integrante do ambiente, adotando hábitos saudáveis de higiene, alimentação e atividades corporais, relacionando-os com os efeitos sobre a própria saúde e de recuperação, manutenção e melhoria da saúde coletiva.
· Conhecer, organizar e interferir no espaço de forma autônoma, bem como reivindicar locais adequados para promover atividades corporais de lazer, reconhecendo-as como uma necessidade básica do ser humano e um direito do cidadão.
Habilidades em Educação Física:
* Vivenciar deslocamentos do corpo no espaço em diferentes direções, planos, níveis, formas e velocidade.
* Identificar e explorar diferentes formas de movimento, utilizando várias partes do corpo ou o corpo inteiro.
* Vivenciar relaxamento conduzido, brinquedos cantados, cantigas de roda e pequenas dramatizações.
* Vivenciar atividades e jogos com regras simples que englobam habilidades motoras simples.
* Conhecer e dominar o manejo da bola de voleibol: toques, manchetes, saques, rodízios, adaptando-se às regras.
* Conhecer e dominar os fundamentos básicos do xadrez.
* Aplicar as noções de higiene corporal, mediante cuidados específicos a serem adotados na infância e adolescência.
* Conhecer e dominar os fundamentos básicos do Tênis de mesa.
* Explorar o ritmo, coordenando criativamente os movimentos corporais na criação e aplicação de coreografias.
* Vivenciar movimentos corporais relacionados às Danças Folclóricas e Regionais.
* Conhecer e dominar o manejo da bola de basquetebol, adaptando-se às regras simplificadas e assumindo variados papéis no campo esportivo.
* Vivenciar os fundamentos da prática do atletismo, através de corridas: resistência e velocidade, saltos: horizontal- extensão e vertical-altura.
* Conhecer e dominar o manejo da bola de handebol, adaptando-se às regras simplificadas e assumindo variados papéis no campo esportivo.
* Dominar técnicas dos jogo de damas, movimentando as pedras eficazmente, aprendendo novas jogadas.
* Expressar-se criativamente através da dança criativa.
* Identificar bons hábitos alimentares, riscos da obesidade e postura física adequada a cada situação do cotidiano.
*Criar novas regras e estratégias de execução dos jogos e brincadeiras.
* Executar atividades que trabalhem o equilíbrio, lateralidade e a coordenação motora geral, através de atividades lúdicas.
* Identificar e valorizar os jogos e brincadeiras da cultura local.




MODALIDADE DE ENSINO: EDUCAÇÃO ESPECIAL



A Escola atende alunos com necessidades educativas especiais, considerando os direitos e oportunidades educacionais para todos, conforme a Constituição Federal – 1998 – ( Art. 208, inciso III ) e a Lei de diretrizes e Bases da Educação Nacional ( Art. 58, parágrafos 1º, 2º, 3° ).
O compromisso com a inclusão toma força a partir da “ Conferência mundial sobre Igualdade de Oportunidade: Acesso e Qualidade”, realizada em Salamanca, Espanha, em junho de 1994. na oportunidade, foi elaborada e aprovada a “Declaração de Salamanca e Linhas de Ação sobre necessidades Educativas Especiais”, que em seus artigos 3º e 4º estabelecem que as escolas devem acolher todas as crianças, independente de suas condições físicas, intelectuais, sociais, emocionais, lingüísticas ou outras, e que a aprendizagem deve, portanto, ajustar-se às necessidades de cada criança, em vez de cada criança se adaptar ao ritmo e à natureza do princípio educativo.
A Escola Municipal Irene Szukala tem em seu quadro discente, várias crianças com necessidades educativas especiais que contam também com uma sala de recursos, para atendimento aos alunos das escolas pólos da região, que são encaminhados pela equipe da Educação Especial da SEMED, conforme necessidade.
Acreditamos que a responsabilidade de inclusão de um estudante com necessidade educacional especial é da comunidade escolar e representa uma oportunidade, um objetivo para que a escola não caminhe para um grupo de pessoas homogêneas, para uma padronização de comportamentos e atitudes ditas pedagógicas. É preciso deixar de ser mero executor de currículos e programas predeterminados, para se transformar em responsável pela escolha de atividades, conteúdos ou experiências mais adequadas ao desenvolvimento das capacidades fundamentais dos alunos, considerando suas potencialidades e necessidades.

RELAÇÃO DOS PARTICIPANTES NA ELABORAÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO.

ROSANGELA DE BRITO LIMA
KATIA SILENE CARMINATI
ALEX BARBOSA DOS SANTOS
ANABEL FERNANDES DOS SANTOS
GIOVANNI COSTA FIGUEIREDO
ELAINE CRISTINA DA CUNHA BARRETO
MARILENE DA SILVA PEREIRA
CARLA BIANCA BOROWISKI LAVARDA
FÁTIMA REGINA SILVA CORRÊA
ROSEMAR TABOSA DOS SANTOS
MIRIAN CARNEIRO PRIMO
RAQUEL DIAS PEIXOTO
ANA RACHEL ACOSTA BORCHES
VALCIENE DE MOURA DAVID
NANCI SILVA DE MEDEIROS FERREIRA
LUCIANA COUTO VELOSO FREITAS
ADELAIR CONCEIÇÃO DOS SANTOS AMBRÓSIO
VALKIRIA MEDEIROS REVELO
ANEDINO ROMERO LOPES
DIOLAINE LOPES DE FARIAS
SILVANO AZEVEDO SILVA
JOSEFA DE LIMA PEREIRA
NADIA RIVERO RODRIGUES DA SILVA
MARIZA DUARTE JARA MARTINS
IRENE DE OLIVEIRA
MARIA REGINA ABADIA
GILDA SALETE DORNELES BICCA
BIANCA CAROLINA ORTEGA
GILVANIA FERREIRA DA ROSA
KEYLA APARECIDA MARTINS GARCIA DOS SANTOS
SOLANGE JARCEM FERNANDES
RITA DE CÁSSIA DA SILVA
ANTONIA GÓES DE ALMEIDA
LUCIANA GALAN
CARLA FEITOSA FIALHO
GLEICE COSTA
LUCIANA CRISTINA NASCIMENTO TEIXEIRA
MARCELO ARAUJO ALVES
WELLINGTON MODESTO DA SILVA
DENISE LOPES MARTINS
MARISTELA FERNANDES DEL PICCHIA
GERTUDEZ RICALDE BENEVIDES


BIBLIOGRAFIA

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil, 1988.

_______, Declaração mundial sobre educação para todos

_______, Declaração de salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas escpeciais. Brasília:CORDE,1997.

_______, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília:MEC/SEF, 1997
GADOTTI, Moacir, ROMÃO, José E. 9orgs. ) Autonomia da Escola: Princípios e propostas. Saõ Paulo: Cortez, 1997.
HAYDT, R . C. avaliação do processo ensino- aprendizagem. São Paulo: Ática, 1995.
MIRAS, M. SOLÉ, I. A evolução da aprendizagem e a evolução do processo de ensino e aprendizagem in Coll, C., PALACIOS, J. MARCHESI, A . Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação da aprendizagem- entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.
REME. Referencial Curricular da Rede Municipal de Ensino para a Educação Infantil. Secretaria de Educação (SEMED). Campo Grande-MS, 2008.
REME. Referencial Curricular da Rede Municipal de Ensino 3º ao 9º ano do Ensino Fundamental. Secretaria de Educação (SEMED). Campo Grande-MS, 2008.
SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia: Polêmicas de nosso tempo.
Campinas:Autores associados, 1994.
VEIGA, Ilma Passsos A.(org.). projeto político-pedagógico da escola.Campinas: Papirus, 2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário